WPT – Brazil

Início » NOTA DE REPÚDIO

NOTA DE REPÚDIO

Atividade em andamento:

33ª Atualização20 de maio de 2018
A previsão é de lançar a Atualização hoje.

CARTA ABERTA AO PÚBLICO, ÀS ORGANIZAÇÕES GLOBO, À POLÍCIA MILITAR, AO EXÉRCITO BRASILEIRO E A TODOS OS GRUPOS PRATICANTES DO AIRSOFT:

Eu, Thiago Miguez, na condição de praticante de Airsoft e Paintball há 10 anos, modalidades desportivas que simulam situações de combate, e como responsável pela minha equipe, o WARFARE PROFESSIONAL TRAINING (WPT), venho a público para REPUDIAR a matéria exibida no programa BOM DIA BRASIL, exibido pela REDE GLOBO, de 01/10/2014, conforme links do vídeo abaixo, pelas seguintes observações:

LINK PARA O VÍDEO: http://globotv.globo.com/rede-globo/bom-dia-brasil/v/armas-de-brinquedo-sao-vendidas-sem-controle-e-acabam-nas-maos-de-bandidos/3665374/

ITEM 1) A falsa afirmação por parte da apresentadora de que “armas de brinquedo são vendidas sem controle”. Devemos esclarecer que as armas de Airsoft NÃO SÃO armas de brinquedo, e muito menos são vendidas sem controle. Réplica é uma coisa, simulacro é outra, arma de pressão é outra e arma de fogo, naturalmente, é outra coisa. A legislação faz DISTINÇÃO CLARA do uso, posse, transporte e compra destes objetos de forma diferenciada, e se isto não foi citado, apenas evidencia o desconhecimento deste universo pelo autor da reportagem e demais envolvidos.

ITEM 2) Em sequência, a apresentadora diz que por conseqüência disto (a suposta falta de controle) estas armas “acabam nas mãos de bandidos”. Não é verdade, visto que o Exército Brasileiro tem à sua disposição o registro dos compradores, todos maiores de 18 anos e com residência comprovada, e além disto, os possuidores das ARMAS DE PRESSÃO devem, obrigatoriamente, ao transportar seu equipamento, seguir uma série de procedimentos e ainda estar de posse da nota fiscal de seus armamentos para estarem de acordo com a lei, portanto há o controle e as medidas reguladoras para a prática do esporte e venda das armas de pressão. Se a arma de pressão utilizar CO2, ainda deve-se ter o registro de CR individual, onde exige-se certidão negativa de antecedentes criminais entre outras burocracias muito mais complicadas, diretamente junto ao Exército Brasileiro.

ITEM 3) Aos 30 segundos de vídeo, mais uma vez, o repórter em Off, diz que as armas são “réplicas”, o que evidencia o  desconhecimento do autor da reportagem sobre o assunto

ITEM 4) Aos 52 segundos, as pistolas mostradas na reportagem provavelmente são de CO2, o que exige um contestável, porém vigente, registro prévio junto ao Exército, como explicado no fim do item 2 desta carta. Novamente o uso da palavra réplica é sem fundamento.

ITEM 5) Aos 1:42 do vídeo, fica visível a má intenção da reportagem. Para a venda de armas de pressão de Airsoft, as lojas atendem a uma burocracia e controle muito mais rígidos do Exército, e a filmagem com câmera escondida, ocultando o rosto do vendedor é um artifício no mínimo imoral, somente para dar a impressão de que estão comercializando algo na ilegalidade. NENHUMA LOJA de rua ou legalmente consolidada com CR, autorização do Exército para comércio, está em condição imoral ou ilegal para o comércio de armas de pressão para Airsoft e outras reguladas, então não há a necessidade de uma reportagem ‘investigativa’ utilizando tais artifícios duvidosos, como se fossem clandestinos. A desculpa de que não obteve a autorização de uso de imagem não cabe aqui, pois o efeito desejado é este que expus: a falsa sensação de ilegalidade. Digo isto porque tenho conhecimento profissional, técnico e estético na área há 14 anos como Produtor Audiovisual, Filmaker e pequeno empresário do ramo de comunicações e produção audiovisual. Na loja, seria uma ótima oportunidade para deixar CLARO quais as exigências para adquirir uma arma de Airsoft… mas a reportagem tem a intenção de apenas denegrir e alarmar sobre algo que desconhece totalmente.

ITEM 6) Após mais uma vez a palavra réplica ter sido usada inadvertidamente, aos 2:15 do vídeo, a voz em Off diz que “o controle é determinado pelo calibre”. Mais uma inverdade propagada pela matéria. O controle das armas de pressão não se dá apenas pelo calibre, mas devido a DIVERSOS outros fatores, como por exemplo, o tipo de ação (elétrica ou gás) e a velocidade em joules do projétil. Mais uma amostra do desconhecimento do assunto.

 ITEM 7) Aos 2:25 aparece o Major Trisi do Exército, dizendo que “a partir de 6mm, o Exército trata essas armas de Paintball e Airsoft como uma arma de tiro real. Abaixo de 6mm, não existe o controle do Exército”. Evidentemente editada, a resposta do Major não faz sentido ou não foi abrangente o suficiente. SIMULACROS e RÉPLICAS (bem como armas de pressão), independentemente de calibre, SÃO objetos controlados pelo Exército, e em raro caso de armas de pressão acima de 8mm, não há QUALQUER entendimento na legislação de que são armas de fogo – evidentemente porque seria um absurdo que isto fosse verdade.

Não conheço o Major Trisi e não duvido de sua competência, dedicação e cordialidade no atendimento à equipe de reportagem, mas o posto de Major, por si só, não simplesmente o qualifica para dissertar sobre o assunto, visto que esta competência é da DFPC/SFPC, seção específica do Exército a respeito de produtos controlados. Caso este integre a DFPC/SFPC, sua opinião está simplesmente equivocada, diante das próprias portarias reguladoras do Exército.

No final, o Major diz: “É de fato um problema novo, e temos que aprender a nos adaptar e verificar como vamos controlar agora essas armas abaixo de 6mm”, o que evidentemente não é parte do SUPOSTO problema estatístico de criminosos estarem usando armas de pressão para cometer assaltos.

ITEM 8) Aos 2:40, após novo emprego da palavra “réplica”, a voz em Off diz: “as pessoas que usam as ‘réplicas’ para o esporte e a polícia, defendem uma mudança na lei, para punir com mais rigor, quem usa as armas para praticar crimes”. Então, aparece o jogador Leonardo Trazzi, da equipe FEAR AIRSOFT, que por sinal é uma equipe parceira do WPT no Espírito Santo, dizendo: “As pessoas que saem na rua ostentando arma de Airsoft deveria ser a mesma penalidade de quem está com arma real” (SIC), e em seguida o Major Menezes da Polícia Militar, dizendo que: “Não se pensava a existência de um simulacro tão perfeito, e não se pensou na utilização deste equipamento pro crime e tudo isso favorece que o criminoso se beneficie”.

Pelo que conhecemos do FEAR AIRSOFT e seus integrantes, sem dúvida o Leonardo Trazzi é um praticante que cumpre com rigor todas as exigências determinadas por lei para a prática consciente e legítima do Airsoft, porém os argumentos apresentados no Item 8 estão criticamente equivocados em relação aos seguintes aspectos:

A) QUALQUER indivíduo que cometer crime, utilizando réplica, simulacro, arma de pressão ou qualquer tipo de armamento FALSO, de brinquedo rudimentar ou elaborado, SEMPRE FOI enquadrado DA MESMA FORMA como se estivesse portando uma arma de fogo, de acordo com a Lei 9.437/97 em seu art. 10, § 1º, inc. II, que traz o seguinte tipo incriminador: “Nas mesmas penas [detenção de um a dois anos e multa] incorre quem: (…) II – utilizar arma de brinquedo, simulacro de arma capaz de atemorizar outrem, para o fim de cometer crimes” e entendimento da súmula 174 do STJ, porém com o nefasto Estatuto do Desarmamento, fica qualquer interpretação subjugada a este, em conjunto com o Código Penal, até que novos projetos que já tramitam na câmara tenham sido aprovados.

B) O Major da PM, espantosamente, demonstra desconhecimento do significado da palavra “simulacro” e sua aplicação prática para o Exército Brasileiro. Pior, disse que “não se pensou no uso deste equipamento para o crime”, demonstrando desconhecimento a respeito dos itens citados no item anterior.

C) A reportagem insinua que a comunidade do Airsoft quer mais leis e regulamentações, o que é uma ABSOLUTA MENTIRA, pois todos já são obrigados a seguir inúmeras determinações de segurança, regulação e burocracias de todo o tipo, que na maioria das vezes são excessivas, mas religiosamente seguidas pelos praticantes do esporte. REPITO: O criminoso que comete um assalto com arma de pressão, de chumbinho, ou mesmo de papelão ou do que for, fingindo ser uma arma de fogo, é enquadrado pelo Código Penal no delito correspondente, e o ponto em questão é apenas se a pena deve ser AGRAVADA ou NÃO pelo mesmo ter utilizado arma de brinquedo, da mesma forma com que se faz com o porte indevido de arma de fogo para cometer crimes. Evidentemente, isto não significa que se um indivíduo cometer o crime de assalto com uma arma de brinquedo “nada acontecerá com ele”.

ITEM 9) A apresentadora dispara no final: “É claro que, sendo chumbinho ou sendo tinta, quem é que vai perguntar para o bandido na hora do assalto se a arma é de verdade ou não, né?” e no final disparada: “no Estado de São Paulo a multa para quem for flagrado vendendo armas de brinquedo pode chegar a 20 mil reais”, ignorando que as armas e pressão NÃO SÃO armas de brinquedo, e que estas já são vedadas legalmente desde 2003, com o Estatuto do Desarmamento.

Ironicamente, ao que parece, a apresentadora quer ter a CERTEZA de que, caso seja assaltada, seja com uma arma de fogo REAL e não com uma de tinta ou chumbinho!

Eu gostaria que a apresentadora respondesse por que um bandido compraria armas de PRESSÃO com a exigência de nota fiscal, comprovante de residência e registro no Exército, por R$ 900, até R$ 3 mil reais, podendo comprar um revólver calibre 38 REAL numa favela por apenas 150-300 reais para a prática de um crime? O criminoso é aquele que não respeita a lei, porque a respeitaria para adquirir uma arma de *pressão* legal para cometer um crime, com uma arma que não atira? Não faz qualquer sentido!

Complemento: quem dera, senhora apresentadora, se todos os crimes que infelizmente ocorrem no país fossem com armas de mentira. Se assim fosse, não teríamos 55 mil homicídios, entre latrocínios, assaltos, justiçamentos, execuções covardes e todo tipo de atividades criminosas contra o cidadão de bem, relegados ao papel de vítimas indefesas.

Aproveitamos para esclarecer que o praticante de Airsoft e qualquer um interessado em participar da modalidade, cumpre uma série de leis, portarias e ritos burocráticos sem fim e o Airsoft só foi possível de ser praticado no país, graças ao esforço homérico de diversos grupos junto ao Exército para regulá-lo como um saudável esporte que trabalha corpo e mente, entre outros valores.

Nós do WPT, nos enquadramos neste grupo de praticantes, e com certeza toda a comunidade do Airsoft não quer mais leis reguladoras, especialmente ao COMÉRCIO, visto que o rigor das que se aplicam a nós, bem como aos CAC, esportistas de tiro e colecionadores, são muito mais rigorosos do que as sanções e penas que deveriam ser aplicadas aos criminosos, tão favorecidos pelo Estatuto do Desarmamento e outros entendimentos jurídicos, em detrimento do cidadão de bem.

Fica aqui o protesto e o repúdio ao desconhecimento generalizado da atividade desportiva do Airsoft e das leis do país, e especialmente a esta matéria ardilosa, capciosa, sensacionalista, alarmista, mal intencionada, mal informada e ignorante, que nada acrescenta ao esporte Airsoft; pelo contrário, só o denigre através de informações falsas, erradas ou incompletas em troca de um suposto “furo jornalístico”, como a que foi apresentada pelo jornal EXTRA há tempos atrás e agora pelo Bom Dia Brasil, ambos das Organizações Globo. Como concessão pública, vocês deveriam prestar um serviço de informação e cultura ao cidadão, e não divulgando inverdades sensacionalistas como as tantas que foram divulgadas na matéria através de uma linha editorial descompromissada com a verdade, para não dizer estúpida e irresponsável.

Nossa sugestão para os praticantes de Airsoft é que não participem de matérias deste tipo, a exemplo do que foi a matéria exibida no programa A LIGA, onde os praticantes foram publicamente ridicularizados, e inclusive incitados a cometerem atos de moral duvidosa e mesmo criminosos. No geral, a grande mídia só destrói a imagem do esporte que foi arduamente conquistada junto ao EB, e trata o Airsoft e seus praticantes de forma imbecilizante, ou pior, de modo a levar a crer que a disponibilidade de armas de pressão de Airsoft implica em periculosidade às pessoas, praticantes ou não.

Nós do WPT NÃO COMPACTUAREMOS com esta visão distorcida e falaciosa do esporte, do comércio de armas de pressão e acessórios, das leis reguladoras e tampouco com o agendamento anti-armas (até mesmo de pressão ou de brinquedo) que a mídia em geral tanto propaga, sabe-se lá com quais interesses.

THIAGO T. MIGUEZ
Músico, fotógrafo, empresário e praticante de Airsoft.
Responsável Geral e representante do WARFARE PROFESSIONAL TRAINING – WPT


10 Comentários

  1. Vanda Lopes disse:

    Realmente: deveriam estar preparados profissionalmente passarem as informações corretamente para os seus telespectadores. A função da Globo ou de qualquer outro veículo de comunicação; é de passar informações com seriedade e responsabilidade ao publico em geral.
    Porque vocês não enviam um carta diretamente ao “BOM DIA BRASIL e os informam melhor sobre esse assunto? Até mesmo para o próprio conhecimentos deles? Vanda Lopes

    • wptmaster disse:

      Sem dúvida, Vanda. A repercussão da indignação dos vários times de Airsoft pela internet chegou a eles, mas como agem de forma falaciosa, obviamente não se retratariam. É uma mistura de falta de responsabilidade com má intenção mesmo. Agradecemos o apoio e obrigado pela visita.

  2. sd.Ciryllo disse:

    tamo junto ST.MIGUEZ

  3. Paulo Cesar disse:

    Verdade, como sempre se diz.
    Pra ajudar poucos botam a cara, ja pra atrapalhar ……

    • wptmaster disse:

      Verdade, Paulo. Que todos os times permaneçam unidos contra este tipo de movimento. Todos nós sabemos quem são esses agentes da desinformação e não vamos ficar quietos: vamos desmascará-los a cada vez que tentarem usar nossa imagem e a do esporte de forma pejorativa. Grande abraço!

  4. Jose Carlos C. Junqueira disse:

    Creio não ser possível uma explicação melhor para a reportagem, espero que o responsável pela matéria aprenda, pesquise e da próxima vez faça realmente uma boa matéria, pois a que foi apresentada foi lamentável.
    Jose Carlos C Junqueira , FAERIO.

    • wptmaster disse:

      Obrigado Jose. Nós nunca podemos nos encolher com esse pessoal. Plantam mentiras, distorcem fatos com manobras capciosas e intenções duvidosas. Já enfrentamos muitas dificuldades para praticarmos de forma sadia o esporte, não precisamos de mentiras e gente jogando contra (e gratuitamente ainda por cima). Grande abraço e até breve!

  5. Renato Rodrigues Duarte disse:

    Bom dia, estive vendo essa reportagem concordo com os itens citados na sua opinião e esclarescimento. Ainda não sou praticante de Airsoft primeiramente já estou estudando sobre muitas coisas dentro a um bom tempo já estarei comprando a minha primeira Airsoft em janeiro mas apenas para brincar com os primos, estive vendo realmente existem muitas leis a se cumprir e acaba tornando o esporte mais difícil mas os crimes acontecerão de um jeito ou de outro, se o ladrão for comprar vai uma pistola elétrica por exemplo por 800 reais sera que não era mais fácil comprar uma verdadeira que não fica muito acima do preço ? Ou se acha ate por menor valor, então #forçaairsoft #pratiquemesporte. Abraço e obrigado por esclarecer mais itens com sua critica do jornal uma critica muito construtiva não como a deles que só querem denegrir .

    • wptmaster disse:

      Exatamente, Renato. Nenhum criminoso apresentaria RG, CPF e declarações, pagando o triplo para comprar uma arma para um assalto que ainda por cima… não atira!

      Todos nós da comunidade do Airsoft devemos defender o nosso esporte diante do grande público, sempre que exigido for. Só assim desmantelamos as mentiras cretinas de boa parte da mídia desarmamentista e parcial. Obrigado pela sua visita e comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s